segunda-feira, 25 de abril de 2016

Pedro, tu me amas? - Daniel Leroux

ADQUIRA AQUI O LIVRO: 
PEDRO, TU ME AMAS?

Este livro de Daniel Leroux ilustra as memoráveis palavras de Dom Marcel Lefebvre na sua declaração de 21 de novembro de 1974:
"Nós aderimos de todo o coração à Roma Católica, guardiã da fé católica e das tradições necessárias para a manutenção dessa fé, à Roma Eterna, mestra de sabedoria e de verdade.
"Pelo contrário, negamo-nos e sempre nos temos negado a seguir a Roma de tendência neo-modernista e neo-protestante que se manifestou claramente no Concílio Vaticano II, e depois do Concílio em todas as reformas que dele surgiram.
"Todas estas reformas, com efeito, contribuíram, e continuam contribuindo, para a demolição da Igreja, a ruína do sacerdócio, a destruição do Sacrifício e dos Sacramentos, a desaparição da vida religiosa, e a implantação de um ensino naturalista e teilhardiano nas universidades, nos seminários e na catequese, um ensino surgido do liberalismo e do protestantismo, condenados múltiplas vezes pelo magistério solene da Igreja. Nenhuma autoridade, nem sequer a mais alta na hierarquia, pode obrigar-nos a abandonar ou a diminuir a nossa fé católica, claramente expressa e professada pelo magistério da Igreja há dezenove séculos.
"Se ocorresse -- disse São Paulo -- que eu mesmo ou um anjo do céu vos ensinasse um Evangelho diferente daquele que vos temos anunciado, seja anátema (Gal. 1, 8)."
Devemos permanecer fiéis às promessas de nosso batismo e, para tal, recusar-nos a adotar as novas doutrinas desta outra Igreja, como a qualifica Gustavo Corção. Nós somos filhos da Igreja Católica e não desta outra cujas doutrinas e cujos frutos Daniel Leroux relata, descreve e explica com grande clareza neste livro que se ocupa mais especialmente do pontificado de João Paulo II.