terça-feira, 21 de março de 2017

Pequeno Catecismo de São José - Lição III e IV

Pequeno Catecismo de São José



3ª Lição
São José, pai adotivo do Menino Jesus

11 – A quem foi confiada a guarda do Menino Jesus?
A guarda do Menino Jesus foi confiada aos paternais cuidados de São José. Por esse honroso ofício, obrigava-se São José a velar sobre o Menino, a educá-lo e a transmitir-lhe ordens com a mesma autoridade que lhe daria o título de verdadeiro pai.

12 – Como desempenhou São José esta delicada missão?
São José desempenhou cabalmente o cargo que Deus lhe confiara. Proveu a todas as necessidades do Menino Jesus; protegeu-O e serviu-O com a ternura e o carinho de que é capaz o melhor dos pais.
Sabemos isso pelo Evangelho que nos mostra São José cheio de solicitude e de paternal afeto para com Jesus em Belém, no Egito e em Nazaré.

13 – Em que circunstancia mostrou São José seu paternal afeto para com Jesus?
Durante os três dias que Jesus permaneceu em Jerusalém às ocultas dos pais. José lastimou tanto quanto Maria Santíssima essa imensa perda e alegrou-se com ela pelo feliz encontro de seu depósito sagrado.

14 – Não mereceu então o título glorioso de pai de Jesus?
Sim, embora na realidade não seja senão pai adotivo do Verbo Encarnado, mereceu o título de Pai, visto possuir São José os sentimentos e desempenhar a  missão de pai.

15 – Que ensinam os Evangelistas acerca de São José?
Os Evangelistas consideram São José como pai de Jesus. É ele quem lhe impõe o nome de Jesus; é ele que o anjo avisa do perigo que corre o Menino, é ainda ele que recebe a ordem de regressar do exílio.
Podemos partilhar da felicidade de São José , se soubermos guardar Jesus que recebemos na Santa Comunhão e se gravarmos em nossa alma os sentimentos que animavam São José.

4ª Lição
Provas e consolações de São José

16 – Onde morou a Sagrada Família?
A Sagrada Família fixou residência em Nazaré, mas por ordem do Anjo e afim de escapar à sanha feroz de Herodes, que procurava matar o Menino, teve de refugiar-se no Egito e ali permaneceu até a morte do tirano.

17 – Não quis Deus provar os pais de Jesus?
Sim, Deus quis submetê-los a toda sorte de provas: em primeiro lugar, fazendo nascer o Menino longe de casa, num miserável estábulo; em seguida, permitindo todos os incômodos e privações de um longo exílio entre gente pagã e, mais tarde, privando-os por três dias da presença do Divino Menino, perdido em Jerusalém.

18 – Como suportou São José todas essas provas?
Adorando os desígnios de Deus e submetendo-se às suas ordens sem réplica nem murmuração.

19 – Outorgou Deus alguma consolação a São José?
Deus inundou a alma de seu fiel servo com as mais puras alegrias; deu-lhe a felicidade de ver os Pastores e os Reis prostrados diante da manjedoura a oferecer dádivas ao Menino Jesus.
São José gozou da insigne alegria de carregar inúmeras vezes o Menino nos braços, de estreitá-lo ao coração, arrebatado em santo amor, de amparar o Menino contra seus inimigos, de defendê-lO com as próprias mãos, de dar-Lhe ordens e vê-las sempre cumpridas por Jesus.

20 – Que ensina esta submissão de Jesus?

Ensina a profunda humildade de Jesus e a grande dignidade de São José (São Bernardo).