quarta-feira, 10 de maio de 2017

OS PROTESTANTES E A VIRGEM SS. NOSSA SENHORA

OS PROTESTANTES E A VIRGEM SS. NOSSA SENHORA


EQUIVOCAÇÕES PROTESTANTES – Os teus amigos, meu prezado amigo protestante, costumam andar muito equivocados, quando falam da devoção que nós católicos temos à Virgem Mãe. E eu digo equivocados para não usar outra palavra mais forte e porque, indubitavelmente, muitos falam e escrevem o que lhes inspira e dita a sua ignorância, porque vós protestantes não sabeis o que é catolicismo. Não são poucos, além disto, os que merecem o nome de caluniadores, pois falam e escrevem persuadidos de que tudo o que assim espalham é falsíssimo, e disto se persuadirá também o meu prezado amigo, lendo estas páginas e outras que irei publicando ou que lhe indicarei entre as já publicadas na coleção destes Raios de Sol.

1º VÓS DIZEIS... que o culto da Santíssima Virgem, Nossa Senhora, se introduziu no ano de 660. Ledes realmente muito pouco, porque se lêsseis um pouco mais os livros antigos de nossos pais, e vossos pais também na fé, veríeis que Santo Irineu, São Basílio, Santo Ambrósio, S. Agostinho, S. Crisóstomo e outros muitos, todos eles anteriores de séculos ao ano de 660, veneraram a Virgem Maria. Mais de três séculos antes de 660, na liturgia de São Basílio todos os fiéis diziam: - Senhor, santificai as nossas almas e os nossos corpos pela intercessão da Santa Mãe de Deus!...  Repare o meu amigo no fenomenal atraso dos pobres protestantes!

2º DIZEIS AINDA... que as imagens da Santíssima Virgem se introduziram no ano de 787.  Afirmar semelhante coisa é dar boa prova de pouco lidos e versados na história da antiguidade cristã! Se tivésseis boa vontade e paciência para ir até às catacumbas, onde está o puro espírito cristão veríeis um sem número de imagens e veríeis especialmente a Virgem Maria representada em muitas formas e maneiras: aqui sentada num trono, com o divino infante nos braços, a um lado o profeta Isaías e a estrela na parte superior; ali a Virgem na sua Anunciação; mais além a Virgem com o Menino Jesus sobre os joelhos recebendo a visita dos reis Magos, cheia de dignidade e majestade.

3º DIZEIS... que nós, católicos, veneramos a Virgem Santíssima como a deusa. Não, meu caro amigo, não é verdade. Não há católico que não saiba que a Virgem Nossa Senhora, apesar de ser Mãe de Deus, não é deusa; e ainda que cremos que, pela sua excelência e sublime dignidade, é superior a todos os santos sempre deixamos entre ela e Deus uma distância infinita.

4º DIZEIS... que a veneramos mais que ao próprio Jesus Cristo. Outra consideração caluniosa. Nós, católicos, veneramos à Virgem Maria para que nos leve a Jesus; mas Jesus Cristo é o termo e fim supremo dos nossos anelos e da nossa devoção. Veneramos a Virgem Maria como a Santa, e muito Santa; a Jesus Cristo porém veneramos como a Deus e fonte de toda santidade. Veneramos a Nossa Senhora como a quem foi enriquecida de copiosa graça, e pela sua intercessão nos alcança abundantes e preciosíssimas graças; mas veneramos a Jesus Cristo como a autor e doador da graça, como a fonte das graças. Com a sua intercessão, Maria nos alcança a graça de Jesus Cristo; a graça, porém, ainda que a possui Maria, não cremos nem jamais dizemos que seja da Virgem Santíssima, mas sim de Jesus Cristo; e sempre, sempre veneramos mais, infinitamente mais a Jesus Cristo. A Jesus Cristo, como Deus, à Santíssima Virgem Maria como a criatura de Deus, como a serva de Deus, superior todavia a todos demais os servos de Deus, por maiores santos que tenham sido, pois que foi Mãe de Deus, mas sempre infinitamente inferior a Deus.

5º DIZEIS... que nós católicos fazemos assim injúria a Jesus Cristo, pois cremos que Ele por si não basta. Estais muitíssimo enganados. Nós não cremos [em] nada disto. O que cremos e afirmamos é que Jesus Cristo basta, se assim quiser; querendo, porém, fazer participar as criaturas na administração das suas graças, quem se atreverá a negar-lhe esse direito ou a censurá-lo por isto? Precisava Jesus porventura de mãe para vir ao mundo? Não, e, entretanto, não quis vir sem maria por Mãe.
Precisava talvez ser educado por Maria? Não, e, contudo, não quis crescer sem Maria. Precisava de apóstolos para converter o mundo? Não, e, contudo, não o quis converter sem os apóstolos.
Vamos adiante. Precisava de água para batizar? Não, mas, entretanto, sem água não se batiza. Fazem talvez injúria a Jesus Cristo os que batizam usando da água? O mesmo se poderia dizer de muitas outras coisas. Tudo depende da vontade de Deus.

6º DIZEIS... que nós, católicos, afirmamos que só com serem devotos de Nossa Senhora se salvam os homens. Pois não! Deveis porém entender estas palavras no sentido verdadeiro em que nós mesmos o entendemos e afirmamos. Dizemos que aquele que for sinceramente devoto de Nossa Senhora se salvará, porque a Virgem Santíssima lhe obterá de Deus as graças para não cair em pecado, com os auxílios divinos, ou para sair do estado de pecado antes de morrer, usando os meios necessários, como o são o arrependimento, a contrição [e] a recepção dos sacramentos.
Contudo, dizemos também que aqueles que abusam desta devoção e a tomam para pecar impunemente, imaginando que só pelo fato de serem devotos de Nossa Senhora, já podem pecar livremente, não devem esperar sua salvação por isto só; pois isso não é devoção a Nossa Senhora, mas sim presunção, temeridade, burla; e dizemos enfim que devoção não é só rezar três ave-marias, ou praticar e oferecer algum simples obséquio; devoção é outra coisa muito mais séria e cristã.

7º DIZEIS... que há muitas superstições na devoção a Nossa Senhora. E eu posso afirmar francamente que na verdadeira devoção não há nenhuma superstição, que naquilo que ensina a Igreja não há vislumbre sequer de superstição. Se por simplicidade, por equivocação ou engano, ou por vã incredulidade alguns lhe misturam alguma superstição, isso não se pode nem se deve deslealmente lançar em rosto à Igreja Católica, mas unicamente à simpleza ou pouco entendimento curto em todas as sociedades, quer entre católicos, quer entre protestantes. E é bem notar aqui de passagem que, em Roma e em muitos outros lugares, se tem averiguado que os protestantes introduzem algumas superstições entre os católicos, com o fim de lhas [ou “lhes] lançar depois em rosto!

8º E EU TE DIGO... e repito a todos os protestantes em geral que a devoção à Virgem Santíssima Nossa Senhora é uma das coisas mais preciosas que temos nós católicos. Desde as eras remotas da antiguidade tem sido esta devoção filial o sinal especial para reconhecer quem é católico e quem não é. Dizia-se aos fiéis: tende por suspeitos todos aqueles que não têm devoção à Santíssima Virgem Maria; pois, muito provavelmente, e mesmo pela certa, serão protestantes; se tiverem devoção a Maria, é bom sinal de que são católicos.

9º DIGO-TE AINDA, meu prezado amigo... que os devotos de Nossa Senhora costumam ser bons cristãos. Prova-o a experiência: os que têm e cultivam esta suave devoção costumam, de ordinário, ser bons cristãos ou converter-se em bons cristãos, ou pelo menos preparar-se bem antes da morte. Os devotos verdadeiros da Virgem Imaculada costumam ser muito caritativos, muito fiéis e muito amantes de Jesus Cristo. Uma das melhores fontes de virtudes na Igreja de Deus costuma ser a devoção à Virgem Nossa Senhora.  Se os protestantes fossem devotos de Maria, é bem provável que tornariam mais depressa aos braços e ao Coração de Deus. Faça o meu querido amigo a experiência e verá se tenho ou não razão para o afirmar, verá com íntima satisfação os inefáveis proveitos que desta devoção lhe hão de advir.

10º DIGO MAIS... que Deus tem confirmado a devoção a Nossa Senhora com muitíssimos e estrondosos milagres. Lembra-te dos milagres operados em Lourdes. Aposto que nunca te deste o trabalho de refletir nisto. Tem lá paciência, vai a Lourdes, abre os olhos, estuda, examina e te convencerás do imenso amor que tem Jesus à sua Mãe Santíssima e Imaculada.

11º DIGO-TE ENFIM... e suplico-te mesmo que saúdes à Virgem Maria com a “Ave Maria”. A primeira parte foi proferida pelo anjo, e a encontras na Sagrada Bíblia: “Ave, Maria, cheia de graça: o Senhor é convosco, bendita sois [vós] entre as mulheres”. A segunda parte está também na Bíblia: “Bendita sois entre todas as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre”. O nome de Jesus te agradará certamente.
                    
Belíssima é a última parte, que te ensina a ti e a todos nós a Igreja Católica antiquíssima: “Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte. Assim seja”. 

Ora, meu querido amigo protestante, vamos a contas. Dize-me com toda a franqueza e lealdade: Há em toda a Bíblia alguma passagem que nos proíba dizer estas coisas? Não há! Pois então, repete com todo o fervor da tua alma essas palavras, essa fortíssima saudação, essa terníssima súplica, e deixa-te de preconceitos descabidos.

RAIOS DE SOL - Folhas Populares de Propaganda Católica - Padre Amando Adriano Lochu, S.J. Primeira Série - Coleção dos 100 primeiros números - São Paulo - 1931