sábado, 10 de junho de 2017

Meditação - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 10º dia

Meditações - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 10º dia

Vamos a Nazaré, ali acharemos o Coração de Jesus glorificando seu Pai por sua obediência

    Uma das principais virtudes do menino é a obediência. O Espírito Santo nos ensina qual foi a submissão do Coração de Jesus. Entrando no mundo, diz-nos ele por boca do profeta-rei, o Filho de Deus disse: Eis-me aqui, venho,conforme o que está escrito de mim a frente do meu livro, para fazer vossa vontade; esta é a minha vontade, ó meu Deus, e vossa lei se acha no meio do meu coração.
    Tendo o Pai eterno designado a São José para ocupar seu lugar na a respeito do seu divino Filho, Jesus o olhou sempre como seu pai; durante o espaço de trinta anos, prestou-lhe o respeito e obediência que um filho deve a seu pai. O Evangelho atesta que ele era submisso a Maria e a José, o que significa que, durante todo este tempo, a ocupação do Redentor foi obedecer-lhes; a José pertencia mandar como chefe desta pequena família, e a Jesus obedecer como súdito. Jesus não dava um passo, não tomava nutrimento ou repouso, senão segundo as ordens de São José. Ele lhe obedecia em tudo e logo, como Deus se dignou revelar a Santa Brigida. Muitas vezes, diz Gerson, Jesus era ocupado em preparar a comida, lavar as vasilhas, carregar água, varrer a casa. 
    Ó feliz casa de Nazaré, eu te saúdo e te venero: um tempo virá em que serás visitada pelas maiores personagens da terra, e quando os piedosos peregrinos se virem entre teus muros, não poderão conter lágrimas de enternecimento, pensando que o rei do céu passou ali toda a sua vida, obedecendo a Maria e a José. Santo Agostinho diz que como Adão pela desobediência perdeu a si o gênero humano, o fim principal do Filho de Deus, fazendo-se homem, foi ensinar a obediência por seu exemplo. Ele começou então por obedecera Maria e a José desde sua infância, continuou do mesmo modo durante toda a sua vida, e obedeceu enfim até a morte infame da cruz. E querendo nos fazer conhecer que ele tinha sempre antes os olhos a vontade de seu Pai para a cumprir fielmente, afirmou que a trazia gravada no seu divino Coração: Et legem tuam in medio cordis meo.(Ps 39,8)
    Que! Para salvar o homem, Jesus Cristo se submete as criaturas; e para salvar a alma, o homem recusaria a submeter-se a Deus mesmo? Ó injúria! Deus é o Senhor de todos as coisas, pois ele tudo criou; todas as criaturas lhe obedecem, os céus, o mar, a terra, os elementos, os animais irracionais; o homem, a criatura mais amada e favorecida de Deus, não lhe quer obedecer; não teme perder a graça divina! No momento da tentação, o pecador ouve a voz de Deus que lhe diz: Meu filho, não te vingues; evita esse prazer infame; restitui esse bem que não é teu. Mas pecando, o desgraçado lhe responde: Senhor, não quero vos obedecer: Non serviam.
    Bem longe de usar semelhante linguagem, o discípulo do Sagrado Coração se esforça por imitar seu divino modelo, cumprindo os mandamentos de Deus e as ordens de seu superior legítimo. Não procura sequer saber a razão do mandamento, porque, isto ; diz S. Bernardo, seria o sinal de uma vontade imperfeita. Assim é que o demônio tentou a Eva, e conseguiu faze-la prevaricar; começou por lhe perguntar porque Deus lhes tinha proibido comer de todos os frutos do Paraíso terrestre.Eva não teria caído no pecado, se imediatamente houvesse respondido: Não nos pertence examinar o porque; nossa obrigação é obedecer. Mas a desgraçada se pôs a considerar o porque, e esta foi a causa da sua desobediência.
    O que torna perfeita a obediência, é a simplicidade do coração; o Apóstolo no-lo afirma: Obedecei na simplicidade de vosso coração. (6,5) Eis aqui como o divino esposo ensina esta perfeita obediência a sua esposa: Se tu ignoras, ó alma cristã, quanto podes ser cara ao meu coração por tuas obras, dir-te-ei: Sai de si mesma, e segue os passos dos rebanhos. (Can 1,7) Vê como são obedientes as ovelhas a seu pastor: elas não perguntam porque são levadas para tal lugar e a tal hora, porque as levam depressa ou devagar; obedecem a seu pastor sem replicar. Oxalá nos faça obedecer deste modo o amor ao Coração de Jesus.

Prática
Não deixarei passar um dia algum sem rogar ao Coração obediente de Jesus a graça de obedecer com prontidão, exatidão, alegria e simplicidade, a tudo o que me é ordenado por meus superiores legítimos, como o Papa, o bispo da diocese, meus pais, meu confessor. Este é também o verdadeiro meio de achar a felicidade e a paz da alma.

Afetos e Súplicas
Amabilíssimo Jesus, abrasado de amor para com as almas, compreendo a ingratidão dos homens para convosco; vos os amais, e eles não vos amam; vós lhe fazeis bem, e eles vos desprezam, vós quereis lhes fazer ouvir vossa voz, e eles não vos escutam; vós lhes ofereceis graças, e eles as recusam. E eu, meu Jesus, uni-me outrora a esses ingratos para vos ofender assim! Mas quero corrigir-me, quero reparar durante o resto de minha vida os desgostos que vos dei; farei quanto puder para vos agradar e satisfazer. Dizei, Senhor, o que de mim exigis; decidido estou a tudo cumprir sem reserva; fazei-me conhecer vossa santa vontade, por meio da santa obediência; espero executa-la fielmente.
    Meu Deus, prometo-vos firmemente que de agora em diante não desprezarei a mínima coisa que me pareça ser de vosso agrado, ainda que necessário me seja perder tudo o que tenho de mais caro, pais, amigos, honra, saúde e até a vida. Perca-se tudo, com tanto que sejais satisfeito. Feliz a perda a que padecemos, quando sacrificamos tudo para contentar vosso Coração, ó Deus de minha alma! Eu vos amo, ó Soberano Bem, infinitamente mais amável que todos os bens! E amando-vos, uno meu pobre coração a todos os abrasados corações dos Serafins, ao Coração de Maria, enfim ao vosso Coração. Eu vos amo com todas as minhas forças, e só a vós quero amar, quero amar-vos sempre, e sempre a vós só.

Oração Jaculatória
Ó Coração de Jesus, abismo de misericórdia, fazei que este dia seja o de minha inteira conversão.