quinta-feira, 1 de junho de 2017

Meditação - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 01º dia

Meditação - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 1º Dia

Fins da devoção ao Sagrado Coração

"A principal, ou antes, a única devoção do cristão deve ser amar a Jesus Cristo. Se as almas não fazem grande progresso na prática das virtudes, e continuam a cair nos mesmos defeitos, e não raro em faltas graves, é porque pouco se aplicam a adquirir o amor a Jesus Cristo, esta cadeia de ouro que une as almas a Deus. Só para conquistar nossos corações é que o Verbo eterno veio a este mundo; outro não é seu desejo. Por isso ele disse: “Eu vim trazer fogo sobre a terra e que desejo, senão que se acenda?” (Lucas XII, 49). Deus Pai quer que amemos a Jesus Cristo; ele o enviou à terra a fim de ganhar nosso amor, mostrando-nos quanto nos ama, e declara que “nos ama à proporção do amor que temos a Jesus Cristo.” (Joannes XVI, 27). Ele não nos dá suas graças senão quando lhe as pedimos em nome de seu divino Filho: “Tudo o que pedirdes a meu Pai em meu nome, ele vos concederá.” (Joannes XVI, 23). Em fim, ele não admite à felicidade eterna senão aquele cuja vida é conforme a de Jesus Cristo. (Ad Romanos VIII, 29). Jamais, porém, adquiriremos esta conformidade, e nem sequer a desejaremos, se nos não aplicarmos a considerar o amor que nos tem nosso amável Salvador.
Com este mesmo fim é que nosso Salvador se dignou revelar à bem-aventurada Margarida Maria que ele queria que seu coração fosse honrado com um culto especial, a fim de que as almas devotas reparassem, por suas piedosas homenagens, as injúrias que este Coração sagrado recebe no Sacramento da Eucaristia. Um dia em que ela estava em oração diante do santo altar, Jesus Cristo lhe fez ver seu Coração num trono de chamas, cercado de espinhos e encimado por uma cruz: “Eis aqui, diz Ele, o Coração que tanto amou os homens, nada poupou, até se esgotar e consumir para lhes testemunhar seu amor; e em reconhecimento, não recebo da maior parte senão ingratidões pelas suas irreverências, sacrilégios, friezas e desprezos com que me tratam neste Sacramento de amor. Mas, o que ainda mais sinto, é serem corações a mim consagrados que assim praticam.”.
Ele ordenou-lhe depois que se empregasse com todas as forças em fazer celebrar uma festa particular em honra de seu divino Coração, e isto para três fins: o primeiro, para que os fieis lhe deem ações de graças pelo grande dom que lhes fez da adorável Eucaristia; o segundo, para que as almas fervorosas reparem, por sua afetuosa devoção, as irreverências e os desprezos que Ele recebeu e recebe neste Sacramento da parte dos pecadores; o terceiro enfim, para que lhe ofereçam, por este meio, compensação pela honra e culto que os homens deixam de lhe dar em muitas igrejas. E ele promete derramar com abundância as riquezas de seu Coração naqueles que lhe derem esta homenagem, não somente no dia da festa, mas ainda em todos os outros dias, quando forem visitá-lo no Sacramento do altar.
Assim, a devoção do Coração de Jesus, não é outra coisa que um exercício de amor para com este amável Salvador.

Prática
Este exercício de amor constituíra minhas de­licias cada vez que eu visitar o Santíssimo Sa­cramento. Então rezarei com fervor particular a mais bela oração de Santo Affonso, na qual se acham também declarados os três fins da devoção ao Sagrado Coração, e agora vou me­ditar cada uma das palavras desta preciosa oração.

Afetos e Súplicas
Senhor meu Jesus Cristo, que por amor dos homens ficais, noite e dia, no Sacramento do Altar, onde, cheio todo de misericórdia e bondade, estais, chamais e acolheis todos os que vos vem visitar, eu creio que estais presente neste augusto mistério. Desde o abismo do meu nada vos adoro, e rendo graças por todos os benefícios que me tendes feito, especialmente porque vos destes a mim neste Sacramento, me concedestes para advogada Vossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, e me chamastes a vos visitar nesta Igreja.
Venho saudar vosso Coração amantíssimo, e quero faze-lo por três fins:
1º Em reconhecimento do grande dom que de vós mesmos nos fazeis;
2º Em reparação dos ultrajes que de vossos inimigos tentes recebido neste Sacramento;
3º Na intenção de Vos adorar, por esta visita, em todos os lugares do mundo onde sois menos honrado e mais abandonado neste divino Sacramento.
Amo-vos, meu Jesus, de todo o meu coração. Pesa-me de ter, no passado, desagradado tantas vezes vossa bondade infinita. Proponho, com o socorro de vossa graça, não vos ofender mais no futuro.
E nesta hora, miserabilissímo como sou, me consagro todo a vós; eu vos adoro e sacrifico sem reserva a minha vontade, meus afetos, meus desejos, e todos os meus interesses. De agora em diante fazei de mim e de tudo o que me pertence o que for do vosso agrado.
Somente peço e quero vosso santo amor, a perseverança final e a graça de cumprir perfeitamente vossa vontade.
Recomendo-vos as almas do Purgatório, principalmente as mais devotas do Santíssimo Sacramento e da Santíssima Virgem Maria.
Recomendo-vos também todos os pobres pecadores.
Enfim, amadíssimo Salvador meu, uno meus afetos e orações aos afetos e orações de vosso Coração ardente de amor, e assim unidos, eu os ofereço a vosso Eterno Pai, pedindo-lhe em vosso nome e por vosso amor, se digne de os aceitar e atender.

Jaculatória
Dulcissimo Coração de Jesus, tornai-vos senhor de todo o eu coração.


O Sagrado Coração de Jesus segundo Santo Afonso de Ligório ou Meditações para o mês do Sagrado Coração, a Hora Santa e a Primeira Sexta-feira do mês retiradas das obras do Santo Doutor pelo Padre Saint-Omer, redentorista. 1926.