quarta-feira, 14 de junho de 2017

Meditações - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 14º dia

Meditações - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 14º dia

Vamos a GetsemanI, ali acharemos o Coração de Jesus cheio de tédio.


O Coração de Jesus começou também a sentir grande tédio por causa dos tormentos que lhe eram preparados: Caepit taedere. Quando nos vem dissabores, as delícias mesas mudam-se em amargura. E donde podia vir a Jesus esta repugnância? Provinha da triste previsão que ele tinha da inutilidade de sua Paixão para muitas almas. Nosso Senhor revelou a venerável Águeda da Cruz, que este pensamento o afligiu desde o seio de sua mãe, e foi a maior pena de toda a sua vida: já ele o predissera muito tempo antes pela boca de Davi: Que proveito tirarei da efusão do meu sangue? Para que servirá o sacrifício da minha vida? Os homens, em grande maioria, não farão caso algum de minha Paixão; continuarão a me ofender e perder-se eternamente, como se eu nada houvesse feito por eles; Esta pena formou o cálice tão amargo do qual Jesus, no Jardim das Oliveiras, rogou a seu eterno Pai o livrasse: Pater mi, si possibile est, transeat a em calix iste. Em que consistia este cálice? Consistia em ver, de um lado, tantas dores, tantas ignominias, tanto sangue derramado, uma morte tão cruel e infame, e de outro, tão poucos frutos: Qual será o proveito do meu sangue? Ah! Quanto é grande o amor do Coração de Jesus para com as almas! Quanto é grande a compaixão deste divino Coração para com os pecadores! E nós temeríamos não alcançar o perdão, uma vez que lho peçamos? Ah! Ele é de tal sorte inclinado a perdoar aos pecadores, que geme por causa de sua perda, e chora quando os vê longe de seu amor, privados de sua graça. Então com ternura os chama, exclamando: Por que quereis morrer, ó filhos de Israel? Volvei-vos para mim e vivei. Oh! Se os pecadores soubessem com que bondade o Senhor os espera para lhes dar o perdão! Oh! Se soubessem com ele deseja, não puni-los, mas os ve-los mudar de proceder, a fim de poder abraça-los e os apertar no seu Coração! Eu protesto com juramento, diz o Senhor Deus, não quero a morte do pecador, mas sim que se converta e viva. Ele chega até a dizer: Pecadores, arrependei-vos de me ter ofendido; e então, e vos não perdôo, vinde e acusai-me de mentira. Mas não, longe de faltar a minha promessa, se vierdes a mim, tornarei vossas almas tão brancas como a neve, ainda quando se tenham tornado pelos pecadores tão vermelhas como o escarlate. Urgido pela mesma misericórdia ele declara formalmente que esquece todos os pecados da alma que se arrepende.
    Com que caridade este Coração tão misericordioso perdoou Madalena, logo que ela se arrependeu de suas faltas! Com que bondade perdoou ao paralítico, dando-lhe ao nosso tempo a saúde do corpo! De que bondade usou Jesus principalmente para com a mulher adúltera! Os sacerdotes lhe conduziram como pecadora, para que lhe a condenasse. Mulher, perguntou-lhe, ninguém te condenou? - Não, Senhor, responde ela. - Pois bem! Nem eu te condenarei; vai em paz, e não peques mais.
   Muitas vezes, Jesus concedeu aos pecadores convertidos as graças mais abundantes e assinaladas, que ele costuma conceder somente as almas de sua predileção. E o que sucede quando quando, cheio de reconhecimento para com sua bondade, uma pessoa se consagra com fervor e sem reserva a seu amor, como o fizeram S. Paulo, Santa Maria Madalena, Santa Maria Egípcia, Santo Agostinho, Santa Margarida de Cortona. O Coração de Jesus manifestou particularmente sua ternura a respeito desta última santa, que tinha antes passado muitos anos no pecado, ele chegou a lhe fazer ver o lugar que lhe tinha preparado no céu entre os serafins, e enquanto não chegava a hora do prêmio eterno, não cessava de lhe prodigalizar novas graças. Vendo-se tão favorecida de Deus, Margarida lhe disse um dia: Que! Senhor, tantas graças a mim! Já vos esquecestes das ofensas que vos fiz? E o Senhor se dignou responder-lhe: Não sabes que, quando uma alma se arrepende de seus pecados, eu esqueço todos os ultrajes que ela me fez? - Assim já o declara Deus pelo profeta Ezequiel: Se o pecador faz penitência, esquecerei todas as suas iniquidades.

Prática
Vou começar desde este momento vida nova, vida conforme aos desejos do Coração de Jesus. Virá o momento em que não poderei mais. Ai! Quem sabe se é chegado o fim dos meus dias? Quem sabe se amanhã viverei ainda? Na hora da morte estarei tranquilo ao considerar que quase não pensei no grande negócio de minha eternidade?

Afetos e Súplicas
Coração afligido de meu amadíssimo Jesus, a multidão de minhas faltas torna-me indigno de vossas graças, mas pelo merecimento da pena que sofrestes no Jardim de Getsamani, vendo todos os meus pecados, concedei-me vossa luz, a fim de que, conhecendo sua malícia, tenha deles, como vós, grande horror. Ó amável Salvador meu, eu, pois, fui o algoz de vosso Coração,e  algoz mais cruel do que todos os que vos crucificaram! E este suplício, renovei e aumentei tantas vezes, quantas vos ofendi! Senhor, morrestes para me salvar, mas vossa morte não basta para minha salvação, se, do meu lado, não tenho sincero arrependimento dos pecados que cometi, e não os detesto mais que tudo. Esta disposição é ainda uma graça que devo esperar de vosso Coração misericordiosissimo; vós a concedeis a quem vo-la pede; pois bem! Eu vo-la peço pelo merecimento de todos os padecimentos que sofrestes na terra; concedei-me a dor de meus pecados, e dor proporcionada a malícia deles. Meu Jesus, ajudai-me a fazer neste momento um ato de contrição que seja digno de vós. Pai Eterno, supremo e infinito Bem, eu, miserável verme da terra, tive a audácia de vos ultrajar e desprezar vossa graça; agora detesto e aborreço sobre todas as coisas as injúrias que vos fiz; delas me arrependo de todo o coração, menos por causa do inferno que mereci, que pela desgraça de vos haver ofendido. Bondade infinita, espero, pelos merecimentos de Jesus Cristo, que me perdoeis, e com o perdão de minhas faltas, concedeis a graça de vos amar. Eu vos amo, ó Deus digno de infinito amor, e quero repetir sem cessar: eu vos amo, eu vos amo, eu vos amo. O que dizia Santa Catarina de Gênova, quando estava aos pés de Jesus Crucificado, digo-vos também agora: Não, Senhor, não mais pecados, não, não mais pecados. Ah! Vós mereceis, meu terno Jesus, não ser ofendido, mas ser único objeto de nosso amor. Meu Redentor, vinde em meu socorro. Minha terna Mãe Maria, prestai-me vossa assistência; só vos peço passar o resto da minha vida no amor de Deus.

Oração Jaculatória
Ó Coração de Jesus, ponde termo as minhas ingratidões, ferindo meu coração com vosso santo amor.