sexta-feira, 30 de junho de 2017

Meditações - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 30º dia

Meditações - Mês do Sagrado Coração de Jesus - 30º dia


Aproximemo-nos da santa Mesa: ali acharemos o Coração de Jesus desejoso de nos comunicar suas graças.  

     Na derradeira noite de sua vida, nosso amantíssimo Redentor, vendo que era chegado o tempo dele morrer pelos homens, tempo pelo qual tão ardentemente suspirava, não pode consentir em nos abandonar sós neste vale de lágrimas; para que nem a morte o separasse de nós, quis deixar-nos em alimento no Sacramento do altar seu corpo, sangue, alma e divindade. 
    Mas qual é seu intento dando-se a nós deste modo? Ah! sabemos que é próprio daquele que ama querer bem a pessoa amada. O Cora­ção de Jesus quer então vir a nós para nos fazer bem; ele tem, para isto, todas as riquezas do Pai eterno. Assim, quando ele visita nossas almas sacramentalmente, vem com tesouros imensos de graças. Depois da comunhão bem podemos dizer: Todos os bens me vieram com ela. O efeito principal operado pelo Sagrado Coração neste divino banquete, é entreter em nós a vida da graça. Dai o nome de Pão de vida dado á Eucaristia, porque, assim como o pão material sustenta a vida do corpo, assim o pão espiritual sustenta a vida da alma, mantendo-a na graça de Deus.
    Mas, para um organismo doentio não basta o pão; necessários lhe são ainda remédios próprios para combater eficazmente as causas que destroem a saúde. A comunhão satisfaz também a esta necessidade de nossas almas, cuja vida é posta em perigo pelos pecados veniais e pelas paixões. Este alimento divino e, com efeito, conforme o Concilio de Trento, o antidoto que nos livra das faltas veniais e nos preserva dos pecados mortais. A Comunhão nos livra das faltas veniais, porque este divino Sacramento leva o homem a fazer atos de amor que apagam os pecados veniais; preserva-nos também das faltas graves, pelo aumento da graça que ela produz em nós. Uma fonte d'agua sai do Coração de Jesus e pára o fogo das paixões que nos consomem: aquele que sente arder em si este fogo, chegue-se á comunhão, e verá logo sua paixão, se não morta, ao menos muito amortecida. Se algum entre nós, dizia S. Bernardo, sente-se menos vezes e menos violentamente levado á ira, á inveja, a impureza e a outros vícios, dê graças ao Sacramento de amor: ele é que opera estes felizes efeitos.
     Não contente de extinguir em nós os impuros ardores da concupiscencia Jesus, na Eucaristia, acende ainda em nossas a mas a celeste chama do divino amor, o qual é o mais seguro preservativo contra o pecado. Deus é amor;" é um jogo que consome em nossos corações todas as afeições terrestres ; ora, o Filho de Deus declara que que veio trazer fogo sobre a terra, e que todo seu desejo é ver todas as almas abrasadas. Com efeito, quão salutares ardores o Coração ardente de Jesus faz experimentar aqueles que comungam com fervor! Quando deixamos esta sagrada mesa, diz S. João Crisostomo, as chamas d' amor que se erguem de nossos corações, nos tornam temíveis ao inferno mesmo. Então, não somente os demônios fogem logo que nos veem, mas os santos anjos vem colocar-se em torno de nós.
     Enfim, pela santa comunhão, o Coração de Jesus nos eleva a dignidade tal, que apenas podemos conceber, porque o pão celeste tornase a mesma coisa conosco se é que assim me posso exprimir, como o alimentocorporal se muda em nosso sangue; mas com esta diferença que os alimentos terrestres tomam nossa natureza, ao passo que, recebendo este alimento divino, nós tomamos a natureza de Jesus Cristo. Nosso Senhor, convidando-nos ao celeste banquete, parece dizer-nos : Comei, e sereis por minha graça o que eu sou por natureza. Tais são as palavras que ele se dignou dizer certo dia a Santo Agostinho : Eu não serei mudado em ti, mas tu serás mudado em mim. Assim é que o Sagrado Coração virá reformar todo nosso ser, dando-nos, segundo sua promessa, um coração novo.
     Se a comunhão é tão vantajosa, d'onde vem, pergunta o Cardeal Bona, que tantas almas tiram dela tão poucos frutos? Não é falta de virtude no alimento, responde ele, mas é falta de disposição no que o recebe. O fogo pega depressa na madeira seca e dificilmente na verde, porque esta não está disposta para arder. Se os santos tiraram tão grandes frutos de suas comunhões, é porque punham muito cuidado em se preparar. S. Luiz de Gonzaga empregava três dias nesta preparação, e outros três dias na ação de graças ; nesta mesma intenção ele oferecia a Jesus Cristo todas as ações do dia.

Prática

    Preparar-me-ei com todo o cuidado para a comunhão, primeiro desapegando-me cada vez mais das criaturas, e depois, desejando vivamente crescer no amor divino. Desde a véspera, suspirarei pela vinda de meu Deus, dizendo:Ó Coração de Jesus, vinde, minha alma suspira por vós. - Para Ação de graças direi muitas vezes durante minhas ocupações : Ó doce Coração de Jesus, não permitais que eu me separe jamaisde vós pelo pecado: fazei, ao contrário, que eu vos ame cada vez mais.

Afetos e Súplicas

    Ó Senhor, cheio de bondade, amabilíssimo Salvador meu, com que amor me visitais, quando vindes á minha alma pela santa comunhão! então, vós não me honrais somente por vossa presença, mas vos tornais meu alimento, vos unis e vos dais inteiramente a mim, de sorte que eu posso dizer com verdade: Meu Jesus, pois que vos dais todo a mim, justo e que eu me dê todo a vós. Mas ai! eu sou um miserável verme, e vós, vós sois meu Deus! Deus de amor, ó amor de minha alma, quando e que me verei todo vosso, não somente de palavra, mas de fato? Ah! e o que podeis fazer, Senhor : aumentai em mim, pelos merecimentos de vosso Coração a confiança de que tenho necessidade, a fim de que obtenha de vós esta grande graça de me ver todo vosso antes de morrer, todo para vós e mais de modo nenhum para mim mesmo. Meu Deus, que atendeis a todos aqueles que vos invocam, escutai hoje a oração desta pobre alma que deseja vos amar verdadeiramente. Eu quero vos amar com todas as minhas forças, quero vos obedecer em tudo, sem interesse, sem consolação, sem recompensa; quero vos servir por amor, unicamente para vos agradar, para satisfazer vosso Coração de que sou tão ternamente amado. Minha recompensa será vos amar. Ó Filho querido do Padre eterno, apoderai-vos de minha liberdade, de minha vontade, de tudo o que me pertence, de todo o meu ser, e dai-vos a mim; eu vos amo, eu vos busco, por vós suspiro, e desejo ser todo vosso! Ó Mãe de meu Redentor, rogai por mim, a fim de que, por vossa assistência, eu receba vosso divino Filho com amor perfeito, e minha alma se torne segundo o seu Sagrado Coração.

Oração Jaculatória

Amante Coração de meu Jesus, fazei que meu coração seja todo para vós.