quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Primeiro dia preparatório (12 dias preliminares) - Maria convida-nos à Santidade

 DOZE DIAS PRELIMINARES
(Despojar-nos do egoísmo)


Aconselha São Luís Maria Grignion de Montfort uma série preliminar de doze dias, para libertar-nos do egoísmo, tão contrário ao Espírito de Jesus Cristo. É o aspecto negativo, mas indispensável, como que removendo de nosso coração todos os impedimentos, para que compreendamos e recebamos com gosto os ensinamentos de Nosso Senhor. A fim de obtê-lo, cumpre relembrar a promessa de renúncia que fizemos no Batismo, ao demônio, suas pompas e suas obras, bem como meditar os Novíssimos, para que nas mesmas bases profundas de nossa vida espiritual nada se encontre contrariando o espírito do Evangelho. Assim nos prepararemos a luzes maiores e mais fecundas, que ainda havemos de receber. Fidelidade às meditações, fervor nas orações propostas, generosidade nas resoluções que o Espírito Santo nos sugerir por ocasião destas meditações fundamentais, - eis o que, inicíalmente, de nós espera Nossa Senhora e Rainha, a cujo serviço almejamos consagrar-nos inteiramente.


ORAÇÕES PARA CADA UM DOS DOZE DIAS

Invocação ao Espírito Santo
Saudação a Nossa Senhora


PRIMEIRO DIA

Meditação - Maria convida-nos à Santidade

PREPARAÇÃO (Véspera à noite)
Nossa Senhora convida-me à vida perfeita, a fim de que eu obedeça à vontade de Deus que me quer santo. A vida perfeita é suave, útil, deleitável. Para obtê-la, não me bastam as forças da natureza, mas necessito do auxílio Divino, mediante a Devoção a Maria.

Prelúdios
- Represento-me Nossa Senhora acenando-me com amorosa instância para que venha junto Dela para ouvi-la. Filho, acolhe os meus conselhos(Gn 27, 8).
- Mãe Santíssima, alcançai-me firme e sincera resolução de cuidar de minha vida espiritual, à luz dos vossos exemplos.

PONTO
É VONTADE DE DEUS QUE EU SEJA PERFEITO

Na Criação, Deus me afeiçoou à sua Divina imagem e semelhança. Colocou em mim um espelho da Santíssima Trindade. Deu-me a Vida, como o Pai; a Inteligência, como o Filho; o Amor como o Espirito Santo. Na Redenção, fez de mim a imagem viva de Jesus Cristo, ao lavar-me no Sangue do Cordeiro Imaculado. Ele quer que, no Paraíso, eu possa ter a semelhança, não apenas esboçada, mas perfeita e completa, na glória de sua posse eterna e feliz.
À imagem de Deus, pois, devo ser santo. “Santificai-vos, sede santos, porque Eu, vosso Deus e Senhor, sou Santo"(Lv 19, 2) “Esta é a vontade de Deus, - vossa santificação” (1 Ts 4, 3).
Para que eu consiga a semelhança com meu Pai e Criador, cumprindo a sua vontade claramente manifestada, devo dirigir todos os meus pensamentos, palavras e ações, a alcançar a perfeição de minha vida cristã, em todos os momentos da existência.
Assim fez Nossa Senhora, cuja santidade sobrepassou todos os anjos e todos os santos; Ela mereceu obter perfeita semelhança com o Pai Celeste. Pois Deus é a Fonte de todas as graças da santidade e de todas as bênçãos. E Maria é a “cheia de graça" e a “bendita entre todas”.


II PONTO
A VIDA PERFEITA É SUAVE, ÚTIL, DELEITOSA

Aquilo que Deus nos pede não contraria a nossa inteligência nem deprime o nosso coração. Muito ao invés, a vida perfeita é aquela doce e suave Sabedoria Celeste que as Sagradas Letras tanto exaltam. A pérola preciosa, o tesouro oculto, de infinito valor e preço, que nos obtém a familiaridade com
Deus, a paz conosco, a alegria com os nossos irmãos, a verdadeira felicidade na terra e no céu. Eia é o Reinado de Deus em nós e o gozo do Divino Espírito Santo. Uma alma perfeita é o mais belo espetáculo aos olhos de Deus e dos anjos, o palácio e o tálamo de Jesus, o Divino Esposo.
Nada tão útil à Igreja e a toda a humanidade, como um coração de todo entregue a Deus. Nada é, em comparação dele, o sábio, o artista, o político, o herói guerreiro. Ele é a verdadeira nobreza da humanidade! Ele sabe amar a Deus e sacríficar-se pelos irmãos, numa perfeita comunhão com todos os homens. Que maravilha para os olhos da nossa Fé, a vida de Maria, nas operosas virtudes perfeitas, que Ela sabia, contudo, ocultar aos olhares do mundo que não merecia conhecê-Ja! 'Toda a glória da Filha do rei é interior e oculta..."
Ó Maria, ensinai-me a suave preciosidade da vida perfeita!

III PONTO
PARA A SANTIDADE TEMOS PRECISÃO DO AUXÍLIO DIVINO, POR MARIA

Obra tão admirável, não a posso realizar por minhas torças naturais. A santidade é sobrenatural, é uma elevação à mesma ordem Divina, uma participação da natureza de Deus. Para ela, de nada serviriam todos os recursos de minha natureza. Somente a graça onipotente de Deus, graça abundante e extraordinária o pode conseguir. Minha santificação é obra ainda maior do que a criação de todo o universo material! Por que meios alcançarei de Deus o auxílio imprescindível de que tenho tanta necessidade e desejo tão vivo? Ele quer elevar-me. Entanto, minha alma se assusta e trepida meu coração, ao ouvir falar de virtudes tão altas. Tenho conseguido tão pouco até agora! Mas, se achasse um atalho que me encurtasse o caminho, um guia poderoso, uma celeste carruagem que me levasse com segurança e suavidade? Sim. Maria, minha Mãe Santíssima, eis o atalho bendito, o guia seguro,
que me há de facilitar o trabalho árduo. Seu regaço de Mãe há de ser o veículo Divino que me levará com presteza e amor. Ela, diz São Bernardo, é a estrela que guia ao porto do Céu, os navegantes da terra. Seguindo-a, não me desviarei. Rogando-a, não provarei desalento. Pensando Nela, não errarei.
Se Ela me retiver, não hei de cair. Se me proteger, nada temerei. Se me conduzir, não experimentarei cansaço. Se Ela me for propícia, atingirei com certeza o almejado porto! (Hom. 2 Super Missus).

COLÓQUIO

Formosa Estrela minha! Quero serguir-vos, os olhos sempre fitos em vossa excelsa beleza. Porque vós sois espelho da santidade de Deus, suave e bondosa, hei de rogar-vos, imitar-vos, para adquirir a perfeição. Conduzi-me pela mão, como a filho, embora seja eu indigno sequer de ser vosso escravo. E, pois me convidais à Santidade Que Deus quer enriquecer minha alma, ouvirei vossa palavra querida, permanecendo, todo este mês de bênçãos, aos pés de vosso trono de amor.

RAMILHETE
Para encontrar a graça da santidade, a Vida verdadeira, é preciso encontrar Nossa Senhora. "Quem me encontrou, encontrou a vida”(Pr 8,36).

SANTO EVANGELHO (Mt 7, 13-19)
JESUS CONVIDA À SANTIDADE VERDADEIRA

Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ela. Que estreita é a porta e que apertado o caminho para a vida, e quão poucos os que acertam com ele! Guardai-vos dos falsos Profetas, que vêm a vós com vestidos de ovelhas, e dentro são lobos rapaces. Pelos seus frutos os conhecereis.
Porventura os homens colhem uvas de espinhos, ou figos de abrolhos? Assim, toda a árvore boa dá bons frutos e a má árvore dá maus frutos. Não pode a árvore boa dar maus frutos, nem a árvore má dar bons frutos. Toda a árvore que não dá bom fruto será cortada e metida no fogo. Assim, pois, pelos frutos deles conhecê-lo-eis. Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus; mas o que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, este sim, entrará no Reino dos Céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, porventura não profetizamos em teu Nome, e em teu Nome
não operamos prodígios? E eu então lhes direi: Pois eu nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que operais iniquidade. Todo aquele que ouve estas minhas palavras, e as observa, será comparado ao homem sábio, que edificou a sua casa sobre a rocha. E veio a chuva, e transbordaram os rios, e sopraram os ventos, e investiram contra aquela casa, e ela não caiu, porque estava assentada sobre a rocha. E todo o que ouve estas minhas palavras e não as observa, será comparado ao homem estulto, que edificou a sua casa sobre a areia. E veio a chuva, e investiram contra aquela casa, e ela caiu, e foi grande a ruína.


IMITAÇÃO DE CRISTO (L. I. C. XI. 2 e ss.)
DESEJO DA SANTIDADE
E ESFORÇO PARA CONSEGUI-LA

Trataram os santos de se mortificar inteiramente em todos os desejos terrenos, e por isso puderam unir-se a Deus no íntimo do coração e ser livres.
Ocupamo-nos muito de nossas paixões, e temos demasiado cuidado do que é transitório.
E também poucas vezes vencemos um vício perfeitamente, nem nos inflamamos no desejo de adiantar cada dia o nosso aproveitamento e por isso ficamos sempre tíbios, sempre fracos.
Se estivéssemos perfeitamente mortos para nós mesmos e no interior desembaraçados, então, poderíamos gostar das coisas divinas e adquirir alguma experiência da contemplação celestial.
O que unicamente nos impede é o não estarmos ainda livres de nossas inclinações e desejos, e isto mesmo nos aparta de entrar no caminho perfeito dos santos.
E quando também alguma adversidade nos sucede, mui depressa nos desalentamos, e buscamos consolações humanas.
Se nos esforçássemos na batalha em pelejar como varões fortes, veríamos sem dúvida o auxílio do Senhor descer do Céu sobre nós. Porque Deus está pronto a socorrer os que pelejam e esperam em sua graça e nos procura ocasiões de combater para que alcancemos a vitória. Se pomos unicamente o progresso da vida religiosa nas observâncias exteriores, bem depressa se nos acabará a Devoção que tínhamos. Ponhamos, pois, o machado à raiz da árvore, para que, livres das paixões, possamos pacificar nossas almas.

LEITURA (Montíort, Segredo de Maria, II, III, IV)
MARIA, MEIO DE SANTIFICAÇÃO

Imagem viva de Deus, resgatado com o preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo, a vontade de Deus a teu respeito é que te santifiques com Ele nesta vida, a fim de obteres sua glória na outra.
A aquisição da santidade de Deus é tua vocação, e para aí devem convergir todos os teus pensamentos, palavras e obras, todos os teus sofrimentos e todos os movimentos do teu coração; do contrário, resistes a Deus, não fazendo aquilo para que te criou e te conserva agora. Que admirável obra, o pó transmudado em luz, a imundície em pureza, o pecado em santidade, a criatura em seu Criador e o homem em Deus! Obra admirável, repito; mas difícil em si mesma e impossível à natureza abandonada às suas próprias forças.

Que farás? De que meios lançarás mão para que chegar possas até onde te chama Deus?
Os meios de salvação de todos são conhecidos; acham-se consignados no Evangelho; explicaram-nos os mestres da vida espiritual; praticaram-nos os santos, e são necessários a todos quantos querem se salvar e conseguir a perfeição.
Para praticar esses meios de salvação e de santificação, é absolutamente necessária a graça de Deus, e esta graça a todos é concedida em maior ou menor abundância; porquanto Deus, embora infinitamente bom, não dá a graça igualmente eficaz a todos, se bem que a dê suficiente a cada um.
Tudo, portanto, se reduz a descobrirmos meios fáceis de alcançarmos de Deus a graça precisa para sermos santos e isto é o que te quero ensinar. Digo, pois que para encontrarmos essa graça de Deus, precisamos de encontrar Maria, Porque:
Só Maria encontrou graça diante de Deus, não só para si como para cada homem em particular. Os Patriarcas e Profetas, todos os santos da Antiga Lei, não puderam encontrar essa graça.
A Ela deve o Autor de todas as graças, ser e vida; por isso chamamo-la Mãe da graça.
Deus Pai, de quem promana, como de fonte essencial, todo dom perfeito e toda graça, dando-lhe seu Filho, deu-lhe todas as graças, de modo que, como diz São Bernardo, em Ele, e com Ele, a Maria foi dada a vontade de Deus. Deus escolheu-a para tesoureira, ecônoma e dispensadora de todas
as suas graças; pelo que todas as graças e dons passam por suas mãos; em consequência, como diz ainda São Bernardo, Ela dá a quem quer, como quer, e quanto quer, as graças do Eterno Pai, as virtudes de Jesus Cristo e os dons do Espírito Santo.

Assim como na ordem natural é preciso que um filho tenha pai e mãe, também na ordem da graça importa que um verdadeiro filho da Igreja tenha a Deus por Pai, e a Maria por sua Mãe; e se’ alguém gloriar-se de ter a Deus por Pai, não nutrindo em seu coração a ternura dum verdadeiro filho por
Maria, é um mentiroso, cujo pai é o demônio.

Já que Maria formou a Cabeça dos predestinados, que é Jesus Cristo, a Ela compete formar os membros desta Cabeça, que são os verdadeiros cristãos. Quem quiser ser membro de Jesus Cristo, cheio de graça e verdade, deve ser formado em Maria, por meio da graça de Jesus Cristo, que nela reside em toda a plenitude, para ser comunicada abundantemente aos verdadeiros membros de Jesus Cristo e a seus verdadeiros filhos. Maria recebeu de Deus, particular domínio sobre as almas, para
alimentá-las e fazê-las crescer em Deus. Como a criança haure o alimento de sua mãe, que lho dá proporcionado à sua fraqueza, assim os predestinados obtêm de Maria seu alimento espiritual e toda a sua força.
Maria é chamada por Santo Agostinho, e é na verdade, o molde vivo Deus, isto é, foi nela que o Deus-humanado se formou, sem perder um só atributo da Divindade; e é nela que o homem pode ser formado em Deus, tanto quanto a natureza humana é capaz disso, pela graça Divina.


Logo, a dificuldade está em sabermos encontrar verdadeiramente Maria, para acharmos a abundância da graça. Sendo Deus o Senhor absoluto, pode comunicar por si mesmo o que ordinariamente só comunica por intermédio de Maria. Entretanto, segundo a ordem normal que a Divina Sabedoria
estabeleceu, Ele não se comunica de ordinário aos homens senão por Maria, na ordem da graça; de modo que, como diz Santo Tomás, é necessário para subirmos e unirmo-nos a Ele, usar do mesmo meio de que Ele se serviu para descer até nós, para se fazer homem e comunicar-nos suas graças.
 O meio, pois, de encontrarmos graça, e graça abundante, é uma Verdadeira Devoção a Maria.