segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Quinto dia preparatório (12 dias preliminares) - As máximas de Jesus Cristo

QUINTO DIA

Meditação 
 As máximas de Jesus Cristo

PREPARAÇÃO

     A oposição entre as máximas do mundo e as de Nosso Senhor vai fixar-se no horror ao espírito diabólico do século e no propósito de me afastar decisiva e definitivamente do inimigo de todo o bem. O Espírito de Jesus é de pobreza, doçura, fome, sede de santidade. Ele se reflete maravilhosamente em Maria, o formoso “espelho de justiça”.


MEDITAÇÃO

Prelúdios

- Tomando-me pela mão, Maria leva-me junto à montanha das Bem- aventuranças onde me aponta Jesus que me ensina.
- Minha Mãe, avivai em meu coração a fé, para que eu possa ouvir o mandamento do Reino de Jesus e ajuste minha vida a essa doutrina celeste.


PONTO I
BEM AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO

Não devo procurar os bens deste mundo, senão na medida em que eles me são necessários ou úteis ao cumprimento de meus deveres. Se Nosso Senhor permitiu que o tenha em abundância, não prenderei aí meu coração (S116,11). Se, ao contrário, Ele me priva desses bens, agradecerei a Deus a felicidade maior que tenho de não os amar, pondo em perigo minha eterna salvação. Em comunhão com meus irmãos, fá-los-ei participar de minha riqueza ou de minha pobreza. Somente então serei deveras feliz!
Minha Consagração a Nossa Senhora transferirá todas as minhas posses à Virgem Santíssima. Não terei mais espírito de propriedade, serei, portanto, pobre de Espírito”. Quando quiser dispor de alguma coisa, deverei pedir autorização à Minha Senhora, considerando-me simplesmente um fiel ecônomo de tudo o que eu tiver. Feliz, mas inteira dependência! E possuirei o Reino de Deus, serei Senhor dos tesouros verdadeiros.



PONTO II
BEM-AVENTURADOS OS MANSOS

Contra o egoísmo feroz dos mundanos, o Espírito de Jesus é de imensa caridade. De doçura, de mansidão. É preciso ter paciência, benignidade. Não ter inveja, não agir precipitadamente, não se irar, não alimentar nenhuma ambição. Não procurar os próprios direitos, mas somente os dos outros. Pensar bem de todos, tudo suportar, condescender em tudo, menos no pecado (Cfr. 1 Cor 13). Por amor de Deus, em união com Jesus, à imitação do Redentor que deu a sua vida por nós, a exemplo de Maria que consentiu na imolação de seu Jesus por amor dos outros seus pobres filhos míseros... Minha Consagração vai aproximar-me do trono de Nossa Senhora. Há de vizinhar-me também de sua caridade.
E ganharei a terra do meu coração, despido de egoísmos rancorosos que promovem as guerras. A terra do coração de meus irmãos, vencidos pela doçura que traz a paz verdadeira.

PONTO III
BEM-AVENTURADOS OS QUE CHORAM
E DESEJAM A JUSTIÇA

Chorar primeiro os próprios pecados. Anelar, depois, a santidade, a virtude, como o organismo reclama imperiosamente o alimento. O mundo ensina que "não é preciso converter-se". Que cumpre “não exagerar” porque "Deus não pede tanto a nós, e se tentássemos fazer mais, haveria ilusão e
orgulho" (Cfr. Montfort, A.S.E. pág. 268).
Mas Jesus, a Divina Sabedoria nos ordena, ao contrário, que choremos os nossos pecados em sincera conversão. Que tenhamos fome e sede de justiça e de santidade. Que choremos junto com os nossos irmãos perseguidos e sofredores.
Felizes lágrimas que lavam os pecados, que edulcoram as penas e aflições, que traduzem os anelos fervorosos do Bem e da Pátria! Merecerão os supremos consolos do perdão, do mérito, da coroa do céu!
Unirei minhas pobres lágrimas às de Minha Mãe Dolorosa, para que Ela as tome também em pérolas de preço aos olhos de Deus. Para que eu possa comprar meu resgate, meu perdão, e o precioso tesouro de todas as virtudes.


COLÓQUIO

Mãe de misericórdia, meu auxílio e meu conforto, ajudai-me neste despojamento total de tudo o que me prende à terra, impedindo-me o vôo para Nosso Senhor. Que eu me desapegue de mim mesmo, sobretudo, a fim de que seja fácil e suave para meu coração o amor compassivo e manso de meu próximo. Fazei minhas as vossas lágrimas, as que derramastes de amor e desejo de Jesus! Nossa Senhora da Soledade, dai-me intenso anelo de me achar, de tudo despojado, transformado de amor, ardendo de saudade e desejo de Jesus e do céu onde Ele se encontra, - vosso Regaço maternal.


RAMILHETE

Maria, separada de Jesus, na sua Compaixão e na sua Saudade, dar-me-á as lágrimas do arrependimento e do desejo(Seq. Stabat Mat.).


SANTO EVANGELHO (Mt 7, 19-33)
DESPREZO DAS RIQUEZAS DA TERRA

Não queirais entesourar para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e a traça os consomem, e onde os ladrões os desenterram e roubam. Mas entesourai para vós os tesouros no céu, onde nem a ferrugem nem a traça os consomem, e onde os ladrões não os desenterram nem roubam. Porque onde está o teu tesouro, aí está o teu coração. Teu olho é a luz do teu corpo. Se o teu olho for simples, todo o teu corpo será luminoso. Mas se o teu olho for mau, todo o teu corpo estará em trevas. Se, pois, são trevas a luz que há em ti, quão grandes não serão as mesmas trevas? Ninguém pode servir a dois senhores. Porque, ou há de aborrecer a um e amar o outro, ou há de acomodar-'se a este e desprezar aquele. Não podeis servir a Deus e a Mamon.
Digo-vos, pois: Não andeis inquietos com o que haveis de comer para manter a vida, nem com o vestuário para o vosso corpo. Não é mais a alma que a comida, e mais o corpo que o vestido? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem colhem, nem ajuntam provisões nos celeiros. E, contudo.
Vosso Pai celestial as sustenta. Porventura, não sois vós muito mais do que elas? E quem de vós por muito que pense, pode acrescentar um côvado a sua estatura? E por que andais preocupados com o vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo. E, no entanto eles não trabalham nem fiam. Digo-vos mais, que nem Salomão em toda a sua glória jamais se vestiu como um destes. Se, pois, ao feno do campo, que hoje existe e amanhã é lançado ao fogo. Deus assim veste, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Não vos aflijais, pois dizendo: Que comeremos ou que beberemos, ou com que nos havemos de cobrir? Os gentios é que se ocupam com estas coisas. Vosso Pai sabe que de todas estas coisas tendes necessidade. Buscai, pois, primeiramente o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas ser-vos-ão dadas de acréscimo.



IMITAÇÃO DE CRISTO (L. III, c. XXIII)
DOCUMENTOS PARA OBTER A PAZ

Jesus Cristo - Amigo, vou agora ensinar-te o caminho da paz e da verdadeira liberdade.
O Fiel - Fazei-me, Senhor, essa graça, que me alegro muito de vos ouvir.
Jesus Cristo - Procura, antes fazer a vontade de outrem do que a tua. Contenta-te com o pouco, e estima sempre ter menos que mais. Busca sempre o último lugar, e gosta de ser inferior a todos. Deseja e pede sempre a Deus que se cumpra em ti inteiramente a sua Divina vontade. Quem assim faz, está no caminho da paz e do descanso.
O Fiel - Senhor, esses curtos preceitos que me dais, encerram uma grande perfeição.
Contam poucas palavras, porém estão cheios de sentido e de copioso fruto.
Se eu fosse fiel em os guardar, não entraria em mim tão facilmente a perturbação.
Porque todas as vezes que me acontece perder a paz e a quietação, reconheço ter-me apartado destas máximas.
Mas vós que podeis tudo, e desejais sempre o proveito de todos, aumentais em mim vossa graça, para que, obedecendo a vossos preceitos, possa alcançar a minha salvação.

LEITURA (Montfort, Amour de la Sagesse Etemelle, pág. 270 e ss)
O ESPÍRITO DA SABEDORIA ENCARNADA

Para possuir a Sabedoria, urge mortificar o corpo, não somente com sofrer pacientemente as moléstias corpóreas, provações das intempéries, males que advém das outras criaturas. Mas ainda, buscando algumas penas e mortificações, tais como jejuns, vigriias e outras austeridades dos santos
penitentes.
Para isso é preciso coragem, porque a carne é naturalmente idólatra de si mesma, e o mundo considera e rejeita como inúteis todas as mortificações do corpo. Que não faz ele e que não diz, para afastar a prática das austeridades dos santos, cuja penitência assim encontramos descrita: O santo reduziu seu corpo à obediência, mercê de vigílias, jejuns, disciplinas, frio, nudez, toda a sorte de austeridades, e fez com ele o pacto de nada lhe dar de repouso neste mundo. De cada santo, diz o Espírito Santo que era inimigo da túnica manchada de sua carne (Jt, 23). E para que esta mortificação exterior e voluntária seja salutar, é mister juntá-la à mortificação de juízo e da vontade, pela santa obediência. Porque, sem esta obediência, toda mortificação é nodoada da vontade própria, e muitas vezes mais agradável ao demônio do que a Deus. Por isso nenhuma mortificação maior se faça sem conselho. A habitação da Sabedoria está no conselho (Pr 8, 12). O que confia em si mesmo, confia num louco (Pr 18, 26). O sábio tudo faz com conselho (Pr 13.16).
Quem não quiser arrepender-se do que faz, não o faça antes de aconselhar-se com um varão prudente. É a grande admoestação do Espírito Santo (Eclo 31, 24; Tb 4, 19).
Mediante esta obediência, o amor próprio que tudo estraga será expulso; a menor ação será meritória; fica o fiel defendido contra a ilusão do demônio, vitorioso dos inimigos todos, chegará seguramente e como a dormir, ao porto da salvação.
Tudo o que acabo de dizer se encerra neste grande conselho: Deixai tudo e encontrareis tudo, encontrando Jesus Cristo, a Sabedoria Encarnada.