sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Segundo dia preparatório (12 dias preliminares) - O mundo e seu príncipe infernal

Meditação - O mundo e seu príncipe infernal


PREPARAÇÃO

Primeira condição para a vida perfeita é o afastamento do egoísmo simbolizado pelo mundo inimigo de Jesus Cristo. O príncipe desse mundo é o demônio, homicida desde o princípio. Maria será minha defesa contra o mundo, é meu escudo contra o demônio, porque Ela é a princesa e Rainha dos servos de Deus.

MEDITAÇÃO

Prelúdios
- Figuro Nossa Senhora pisando aos pés a serpente infernal, e infundindo-me coragem com seus olhares maternais.
- Mãe e Rainha Poderosíssima, ensinai-me a conhecer o mundo e o demônio para detestá-los, aborrecê-los e suspirar pela vossa Escravidão de amor.


PONTO IDEVO AFASTAR-ME DO MUNDO,INIMIGO DE JESUS CRISTO

Aceitando o convite para a vida perfeita, meu primeiro dever será fugir para longe do que, ao invés de me infundir a semelhança com o Pai Celeste, corrompesse em mim a imagem Divina. Ora, assim é o mundo.
O mundo, aqui, não significa o conjunto dos homens meus irmãos, a quem devo e quero amar, vivendo no meio deles e a eles me devotando sinceramente. Aqui, o mundo é o espírito do mal que não quis receber a Jesus, e o mundo não o conheceu (Jo 1,10) e se opõe a Deus e a seu Cristo. Não podemos amar esse mundo, pois a “amizade dele é inimiga de Deus. Quem procura ser amigo deste século, constitui-se inimigo de Deus” Hg 4,4). Por isso disse Jesus aos seus apóstolos. “Vós não sois deste mundo”.
Não é possível que eu procure uma associação entre Jesus e o mundo. Ele, mesma Verdade desenganar-me-ia: “É impossível servir a dois senhores” (Mt 6,24). Posso jurar sobre esta palavra infalível. Por que então, em minha vida tentaria ainda uma conciliação absurda e impossível?



PONTO II
O PRÍNCIPE DESSE MUNDO É O DEMÔNIO

O príncipe das trevas, o tentador mentiroso, causa de nossa desgraça original, o inimigo de Jesus Cristo, é o soberano desse mundo. Porque o demônio proporciona prazer, honra, riqueza. E para que tenham prazeres, riquezas e honras, tantos homens se submetem ao pecado, fazem- se servos do pecado e escravos do demônio! Ao próprio Jesus ele quis tentar, prometendo todo o mundo e sua glória se o adorasse... O Filho de Deus não o serviu, mas quantos filhos dos homens se lhe obedecem! E por isso, no mundo, juntamente com os prazeres e honras e riquezas, quanto pecado, quanta miséria moral, quanta treva sórdida!
No Batismo, renunciei a satanás, às suas pompas, ao mundo do mal. São malditas as fileiras de satanás, que experimenta levar os homens à mesma maldição que mereceu, ao revoltar-se contra Deus. Por inescrutável desígnio da Providência, Deus permite que o demônio reine no mundo. Mas os filhos de Deus não podem ser escravos de satã.

PONTO III
MARIA, DEFESA CONTRA O MUNDO E O DEMÔNIO

Talvez eu trema ao pensar no inimigo poderoso e audaz. Jesus me tranqüiliza: “Tende confiança. Eu venci o mundo”(Jo 16,33). “Quem me segue não anda nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12). E Ele me oferece o escudo e a proteção de Maria, a inexpugnável Fortaleza, a Torre de Davi. Desde o Paraíso perdido. Ela é a Esperança e o Refúgio dos filhos de Deus. Ela é a inimiga da serpente. E os sequazes do demônio tem também por inimigos os filhos de Maria. Sob este escudo, que temerei? Venha o mundo com todas as suas perfídias mover guerra à minha fé e à minha caridade. Responderei que sou filho e escravo Daquela que foi “Bem-aventurada porque creu" (Lc 1,45), e que entre as flores da humildade com que se aprestou para a Encarnação, colocou o lírio fragrantíssimo de uma virgindade intemerata. Levanta-se, em campo de batalha, o exército dos espíritos infernais. Não
temerei porque meu escudo é Aquela que, humilde virgenzinha, derrota inflexivelmente o mal, numa vitória tanto mais esplêndida quanto, em sua natureza humana, Maria parece tão pequenina e frágil...
Hei de combater contra o demónio. Porque sou de Jesus. E quero procurar a meu Rei Divino, em Maria, da qual Ele quis nascer (Mt 1,16).


COLÓQUIO

Princesa e Rainha dos Eleitos, Maria, eu vos saúdo com amoroso entusiasmo! Agradeço-vos porque me ensinais a grande lição do afastamento do mundo e dos enganos do demônio. Vosso filho, vosso escravo de amor, quero ouvir vossos ensinamentos luminosos, aborrecer o mundo, detestá-lo. fugir-lhe, resistir valorosamente ao demônio, aspirando à honra e à riqueza e ao prazer verdadeiro de ser vosso, para pertencer deveras ao meu Divino Rei Jesus Cristo, fruto bendito de vosso ventre.


RAMILHETE

Renunciemos ao príncipe das trevas. Nós somos os filhos da luz. “Sois luz no Senhor” (Ef V, 8).


SANTO EVANGELHO (Mt 6. 1-11)
TENTAÇÃO DE JESUS

Então foi levado Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo demônio. E após ter jejuado quarenta dias e quarenta noites, teve fome. E chegando-se a Ele o tentador, lhe disse: Se és o Filho de Deus, dize que estas pedras se convertam em pães. Jesus respondendo lhe disse: Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus. Tomando-O então o demônio, O levou à cidade santa, e O pôs sobre o pináculo do templo, e Lhe disse: se és Filho de Deus, lança-te daqui para baixo, porque está escrito: Confiou aos seus anjos o cuidado de ti, e eles te tomarão nas mãos, para que não suceda ferires teu pé em alguma pedra. Jesus lhe disse: Também está escrito: Não tentarás ao Senhor teu Deus. De novo subiu o demônio a um monte muito alto e Lhe mostrou todos os reinos do mundo e a glória deles, e Lhe disse: Tudo isso te darei se prostrado me adorares. Então lhe disse Jesus: Vai-te satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele hás de servir. Então O deixou o demônio e os anjos se aproximaram e O serviram.

IMITAÇÃO DE CRISTO (L I, c. XIII, 1 a 3)
COMO RESISTIR ÀS TENTAÇÕES

Enquanto vivemos no mundo, não podemos estar sem trabalho e tentações.
Por isso está escrito no livro de Jó: “A vida do homem sobre a terra é uma contínua milícia” (7,1).
Cada qual deve, pois, ser muito cuidadoso nas tentações e vigilante na oração para não dar lugar às ilusões do demônio, “que nunca dorme, nem cessa de andar à roda de quem possa devorar” (1 Pd 5,8).
Ninguém há tão santo e tão perfeito, que não tenha algumas tentações e não podemos viver sem elas. São, contudo, as tentações muitas vezes utilíssimas ao homem, posto que sejam importunas e pesadas; porque nelas se é humilhado, instruído e purificado.
Todos os santos passaram por muitas tentações e trabalhos e foi assim que progrediram.
E os que não quiseram sofrer e levar com ânimo as lutas, foram tidos por maus e desfaleceram no caminho.
Não há parte alguma onde não haja tentações e adversidades. Nenhum homem está inteiramente livre de tentações enquanto vive; porque em nós mesmos está a causa donde elas vêm, pois nascemos egoístas e inclinados ao pecado.
Passada uma tentação ou tribulação sobrevém outra, e sempre teremos que sofrer, porque se perdeu o bem de nossa primeira felicidade. Muitos querem fugir às tentações e caem nelas mais gravemente. Não podemos vencer só com fugir-lhes, mas com paciência e verdadeira humildade nos fazemos mais fortes que todos os nossos inimigos.

LEITURA (Montfort, Tratado, 52, ss)
MARIA, INIMIGA IRRECONCILIÁVEL DO DEMÔNIO


Deus só criou uma inimizade, mas esta irreconciliável, que há de durar e aumentar mesmo até o fim dos séculos: é a existente entre Maria, sua digna Mãe, e o demônio; entre os filhos e servos da Santíssima Virgem e os filhos e sequazes de Lúcifer; de sorte que o mais terrível dos inimigos que contra o demônio Deus criou é Maria, sua Santíssima Mãe.
Desde o paraíso terrestre, infundiu nela tanto ódio contra esse maldito inimigo de Deus, tanta sagacidade para descobrir a malícia dessa serpente antiga, tanta força para vencer, subjugar e esmagar esse ímpio orgulhoso, que se arreceia mais dela do que de todos os anjos e homens, e, de certo modo, até do próprio Deus. Não quer isto dizer que a cólera, o ódio e o poder de Deus não sejam infinitamente maiores do que os da Santíssima Virgem, visto serem limitadas as perfeições de Maria; mas é, primeiro porque, sendo satanás orgulhoso, sofre muito mais vendo-se vencido por uma pequena e humilde criatura, e sua humildade humilha-o mais que o poder Divino, segundo, porque Deus concedeu a Maria tão grande poder sobre os demônios, que estes temem mais, como foram obrigados a confessar pela boca dos possessos, um só de seus suspiros em favor de uma pessoa, do que as orações de todos os santos, e uma só de suas ameaças, mais do que todos os outros tormentos.
Aquilo que Lúcifer perdeu pelo orgulho, Maria adquiriu-o pela humildade, o que Eva condenou pela desobediência, Maria salvou pela obediência. Eva obedecendo à serpente, foi causa de perdição, sua e de todos os seus filhos; Maria, com se tornar perfeitamente fiel a Deus, salvou consigo todos os seus filhos e servos, e consagrou-os à Majestade Divina.

Deus não só estabeleceu uma inimizade, mas inimizades, não só entre Maria e o demônio, mas entre a raça da Santíssima Virgem e a do demônio, isto é. Deus estabeleceu inimizades, antipatias e ódios entre os verdadeiros filhos de Maria e os filhos e escravos do demônio, os quais não se entendem mutuamente e não têm correspondência interior entre si. Os filhos de Belial, os escravos e amigos do mundo (pois tudo significa o mesmo) até aqui perseguiram, e sempre hão de perseguir mais do que nunca, àqueles que pertencem à Santíssima Virgem, como outrora Caim perseguiu a seu irmão
Abel e Esaú a seu irmão Jacó, - figuras dos réprobos e dos predestinados. A humilde Maria ganhará sempre vitória contra esse orgulhoso, e tão grande, que chegará a esmagar-lhe a cabeça, onde reside seu orgulho; Ela descobrirá sempre a malícia da serpente, dissipará suas infernais tramas, seus conselhos diabólicos, e guardará até o fim dos tempos, seus sen/os contra as cruéis garras do maligno. Mas o poder de Maria sobre todos os demônios brilhará particularmente nos últimos tempos, em que satanás pretenderá armar ciladas a seu calcanhar; isto é, a seus humildes servos e pobres filhos, que Ela suscitará para lhe fazerem guerra. Eles serão pequeninos e pobres segundo o mundo, humilhados diante de todos, oprimidos e perseguidos, como o calcanhar o é em relação aos outros membros do corpo; mas em compensação serão ricos da graça de Deus, que Maria lhes distribuirá em abundância; serão grandes e elevados em santidade diante de Deus, superiores a toda criatura; de zelo tão vivo e tão fortemente arrimados ao socorro Divino, que com sua humildade, unidos a Maria, esmagarão a cabeça do demônio e farão com que triunfe o reinado de Jesus Cristo.