sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Breve instrução sobre o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo




Os grandes privilégios do Escapulário

No dia 16 de julho de 1251, São Simão Stock suplicava à Nossa Senhora ajuda para evitar a extinção da Ordem Carmelitana, da qual era o Prior Geral. Enquanto ele rezava “Flor do Carmelo, vide florida. Esplendor do Céu, Virgem Mãe incomparável. Doce Mãe, mas sempre virgem. Sede propícia aos carmelitas. Ó Estrela do mar”, A Virgem apareceu-lhe, trazendo o Escapulário nas mãos e disse: “Filho diletíssimo, recebe o Escapulário da tua Ordem, sinal especial de minha amizade fraterna, privilégio para ti e todos os carmelitas. Aqueles que morrerem com este Escapulário não padecerão o fogo do Inferno. É sinal de salvação, amparo e proteção nos perigos, e aliança de paz para sempre”.

O Escapulário

O escapulário deve ser de tecido de pura lã, marrom. Não pode assim ser de feltro, algodão ou de tecidos sintéticos. O cordão, entretanto, pode ser de outro tecido e cor.
Ele deve ser usado ao pescoço de maneira que parte caia sobre o peito e sobre as costas. Não pode ser usado pendurado em outra parte do corpo, como pulseira, por exemplo, ou amarrado em alguma peça de roupa.

O Privilégio Sabatino

Além da promessa feita por Nossa Senhora a São Simão Stock, Nossa Senhora promete ao Papa João XXII em 1322: “Se entre os religiosos ou confrades, quando morrerem se acharem alguns cujos pecados tiverem merecido o purgatório, eu descerei como terna Mãe no meio deles, no purgatório, no sábado que seguir a sua morte, livrarei aqueles que eu lá encontrar e os levarei à Montanha Santa, à feliz morada da vida eterna”. No entanto, Nossa Senhora impõe algumas condições para receber o privilégio sabatino:
1-      Que tenham levado durante a vida o escapulário;
2-      Que tenham guardado a castidade de seu estado;
3-      Rezado o Ofício Parvo de Nossa Senhora, ou se não puderam rezá-lo, que hajam observado os jejuns da Igreja e abstido de carne nas quartas e sábados.
Mais tarde a Igreja permitiu que ao impor o escapulário o sacerdote pudesse comutar a 3ª obrigação (a reza do ofício parvo ou abstinência), em outra prática de piedade designada ao fiel.

Como receber e usar o Escapulário

1-      O Escapulário deve ser de lã marrom, podendo conter ou não imagens e bordados. Excluindo o uso dos escapulários de metal, plástico ou papel.
2-      O Escapulário deve ser abençoado e imposto pelo mesmo sacerdote.
3-      Essa benção e imposição valem para toda a vida, portanto, basta recebê-lo uma vez.
4-      Quando o Escapulário se desgastar, basta substituí-lo por um novo.
5-      Quando alguém tiver a infelicidade de deixar de usá-lo durante algum tempo, pode simplesmente retomar o seu uso, não é necessária outra imposição.
6-      Uma vez recebido, ele deve ser usado sempre no pescoço, em todas as ocasiões, mesmo enquanto a pessoa dorme.
7-      Se o Escapulário lhe for retirado contra a vontade do fiel, esse não perde os benefícios das promessas de Nossa Senhora.
8-      O Papa São Pio X autorizou substituir o Escapulário por uma única medalha que tenha de um lado o Sagrado Coração de Jesus e do outro uma imagem de Nossa Senhora do Carmo. Porém a imposição deve ser feita SEMPRE com o escapulário de tecido.